sábado, 29 de novembro de 2008

A vida me vale...



Quando toda inocência se revela... Na mão de um gesto espontâneo, na alegria de um sorriso sincero.

No abrigo de um abraço, nos passos, de um velho que viveu com dignidade. Na verdade, por pior que seja e de quem deseja e luta por seus sonhos.

Quando ouço o que faz sentido, pelas lições que aprendi. Quando converso com pessoas que não são reféns de dogmas e de conceitos, quando encontro sujeitos, que agem com responsabilidade.


Na emoção e nas lágrimas, na voz do cantador, na ressonância das palavras. Na gargalhada e na esperança, de quem planta e persiste. Aonde existe paz e alegria.

Quando olho o espelho e vejo refletida a serenidade, sem sombras de ego e de maldade. Quando não me deixo guiar pelo mundo externo, quando busco em minha essência e revelo, o que penso sem demagogia.


A vida me vale, pelo amor... Ao contemplar a natureza e ver a beleza das flores. Ao sentir os sabores, a vibração das cores. Ao ouvir o canto dos pássaros e a tudo que a cada passo, me faça me sentir plena.


A vida me vale, por tudo que faço para não partir com arrependimentos. Quando dou guarida e valor ao que é devido, e quando sei avaliar o que seja realmente necessário. Terei saudades, mas somente desses momentos vividos com autenticidade.



Beijos, aos que visitam este espaço!



Imagem: Deviant Art


18 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Que lindo o seu poema, Lu. Por que ninguém veio comentá-lo ainda? mas virão,comc certeza.
Amiga:
Você ainda não foi apreciar a minha postagem no Galeria sobre o filme da Massai Branca. Vou ficar à sua espera. E se quiser tomar um chá comigo, vá ao poemas e canções.
Beijos,
Renata

Leonardo Curcino disse...

acredite.. dores do arrependimento sao as piores! fuja disso!

Véu de Maya disse...

pureza absoluta...tocante esta tua beleza interior...tão bem inspirada neste post....

xi pra ti....

véu de maya

Milly disse...

Ó...qdo a gente não entra na ciranda das vaidades...tudo vale,tudo!
Ego inflado é igual balão...uma hora fura..rs
Simplicidade é a palavra chave...né?..rs
Beijos,querida!
Belo texto!!
.
.

Lu disse...

Owwww Renata, eu não sei.rsss
Se estavam no mesmo estado de espírito que eu,essa semana, estavam pra poucas palavras. Se bem que hoje sábado acordei mais falante.
Beijos.

Lu disse...

Léo, e eu não sei??? A dor do arrependimento é pior que qualquer disciplina.
Obrigada pela visita.
Beijo!

Lu disse...

Véu, obrigada pela visita e por tão gentis palavras.
Tocante? hum...incentivo grande saber.
Beijos

Lu disse...

Ô dona Mlly, prazer grande em tê-la aká com seus comentários. Por onde andou? estava sentindo sua falta!

Verdade! Ego inflado é um perigo...rss
Simplicidade me encanta.
Beijos!

Milly disse...

Assim,tipo assim...veja bem!
Eu perdi o mapa da mina...mas,só por uns dias...
Voltei,tá?
Tava dodói...e qdo fico assim...tudo se perde...até o mapa...rs
.
Ótimo fim de semana!
Beijos,amada!!
.
.

Quasímodo disse...

Não sei se levarei saudades, Lu. Não sei se quero levar. Já vivi de tantas saudades. Não quero mais saudades. Quero presenças.

A Milly esteve ausente por conta dos cuidados que ela dedica aos 13 filhos de Maria...

Beijos, amigas queridas...

O Profeta disse...

Este Mar que beija a Ilha
Traz de longe sonhos perdidos
Adormece na areia e deixa
Na espuma mil e um segredos

Meus sonhos são estrelas que semeio no espaço
São corpo nu que vagueia pela saudade
Brotam e correm para o Mar
Enfrentam a dor a tempestade



Bom domingo



Doce beijo

Milly disse...

...hehehe...
Tô babando neles,Quasímodo!..rs
Fala sério,não são lindinhos?..rs
Se eu tivesse dentões e orelhas grandes,diria que são da família..rs
Adoro este bichos!
Eles me tomam uma boa parte do dia,sim!
Não é fácil manter um mini zoo..rs
.
Beijos,Lu!
Beijos,Quasímodo!
.
.

Anônimo disse...

capa, pq todo o mundo não pensa assim, hein? beijo, bom te ler

Lu disse...

Quasímodi...Tomara que seu caminho seja de presenças!
Obrigada pela visita, beijo!

Lu disse...

Milly, melhoras e não perca o mapa!
Como está Maria e seus filhos? Ninhada hein?
Beijo!

Lu disse...

Anônimo, que surpresa boa!
Povos das cavernas são diferentes, talvez seja por isso. E eu como verdadeira Eremita, faço jus à diferença...rsss
Mas também me faz distinguir, a léguas pessoas especiais.
Fico feliz que tenhas passado aqui, moras no meu coração, caro amigo!
Beijo!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lu:
O seu poema é lindo, se eu o tivesse visto antes...
Publiquei no Galeria. Eu a espero.
Um beijo,
Renata

Milly disse...

Maria tá magrela...complicado amamentar este povo todo!
Mas,eles..ach!Lindos!..rs
Os verdadeiros "Filhos de Francisco"...hehehe...
Francisco tá um poço de ciúmes!
Rosna igual um cão raivoso!
Acho que quer Maria de volta ao reduto...rs
Sabe,sinto-me como se na roça estivesse...com direito ao canto de arancuã e tudo mais...
Feliz aqui com meus bichos...boba,sei...mas,feliz...rs
.
Beijos,querida!
.
.