quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Quando um sonho fica pela metade...



Pensamentos vagando a toa, gestos reprimidos, palavras não manifestadas... Voz embargada e abraço ensaiado...

Um beijo imaginado, uma emoção incontida... A intenção de alimentar o desejo e a sensação e o anseio, de quem não se basta sozinho pela estrada.



Beijos!




Imagem: Alba Luna – Olhares.

8 comentários:

Véu de Maya disse...

curto mas exprssivo texto...
belo abraço pra vc/

Véu de Maya disse...

errata: curto mas expressivo texto..boa noite...

Quasímodo disse...

Lu;

Penso que os sonhos que ficaram pela metade são aqueles que a nossa razão interrompe antes de seu epílogo.

Por isso são felizes os loucos e os poetas.

Beijo, amiga. Bom final de semana.

Lu disse...

Quasímodi....quantos sonhos ficam pelo caminho, né mesmo?
Razão e tantos fatores...

Obrigada! Um ótimo domingo!

Beijo!

Quasímodo disse...

Quasímodi ficou legal, rs....

Lu disse...

He he he....Quasímodi, achar nome e apelidos é comigo mesmo!
Beijo!

Oliver Pickwick disse...

Certos sonhos são como os vinhos nobres. A sua essência só se completa em muitos anos.
Um beijo!

P.S.: Veja o que é bom humor. Por exemplo, o Quasímodo aí em cima, é feio, corcunda, surdo e mora numa torre de igreja, que nem andorinha. Ainda assim, não perde o fairplay. ;)

Quasímodo disse...

Oliver, amigo.
Tu nem sabes mas influenciaste-me sobremaneira. Foi através de um chamamento teu, neste espaço, que li uma postagem tua no Blog da Nova Águia e por consequência aderi ao MIL e à causa da Lusofonia. Tenho procurado contribuir lá.

E também tens me inspirado a pensar num formato capitular de postagens na Torre, meu modesto espaço, e que podes acessar a partir da imagem de exibição deste comentário.

Estás a dever mais algo teu, lá na Nova Águia.

Um abraço grande. Obrigado pelas palavras.

Um beijo, Lu, amiga querida, que sabe agregar à tua volta, tantas luzes como o amigo Oliver.