quarta-feira, 16 de julho de 2008

A janela...


Donde se vê os passantes, que vão e que vem em busca de alguém. Dos que passam apressados em direção ao mercado, dos que passam com graça em direção à praça, das mãos estendidas pedindo comida, dos que pedem pão e recebem um não.

Testemunha da volta do soldado, do olhar do abandonado isolado, do doente sem gente. Das lágrimas e dores, dos que perderam seus amores, do velho cansado relembrando o passado, do olhar do aflito olhando o infinito.

Na moldura da janela, o cotovelo da velha, da vizinha mirando a esquina, da menina inocente olhando a casa da frente, da mulher curiosa escutando a prosa, da mãe aflita e da espera de visita. Da mãe tristonha, da filha risonha, da moça bonita com seu vestido de chita, da moça de trança cheia de esperança.

Portal do luar e do ar, visão do tempo e do vento, que embala a cortina, da sina de qualquer janela que guarda e que vela.

Marcada de história, de gestos e cenas, de horas e vidas, de adeus e partidas.

Memórias de risos, de pranto e de espera, da ausência do amado, um retorno ao passado e de tudo que vejo, da minha janela.




A todos que visitam este espaço, beijos!


9 comentários:

Be disse...

Li ontem, reli hoje...
mas sem palavras...lindo...lindo
beijos

Milly disse...

Texto maravilhoso!!
.
Pensando aqui...qtas vezes passaste e minha janela estava fechada?
Casa escura,cômodo sem ventilação..
Hoje,fui liberta...bebi meus mortos...abri as janelas...
Me sinto como alguém que tinha perdido um ente querido num trágico acidente...e que não tinha um corpo pra sepultar...
Encontrei-o,hoje...
Como uma carpideira,chorei,velei e sepultei...
Estou leve...me sinto livre...entendes o que digo,né?
Sei que sim...rs
Alguém abriu minha janela...e me libertou...
Agora,sento na soleira da porta...e observo os transeuntes...
Agora,tenho paz...
.
Beijos,querida!
Muitos..
.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

O que mais faço nesse meu estado é ficar à janela, e nada acontece na rua.
Amiga, apesar de não ter engordado (um) 1 grama além dos meus 38 quilos, postei sobre um filme meio desconhecido, porém belíssimo.
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

Lu disse...

Betin@ amada, feliz que leu e releu...rss
Muito bom saber, que os escritos e o que conteúdo sejam do agrado de quem visita esse espaço.E vindo de você mami, me deixa super, hiper feliz, viste?
Beijos, muiiiitos!

Lu disse...

Milly!
As vezes passamos e as janelas estão fechadas, então seguimos caminho, achando que talvez o dono ainda esteja dormindo...rss
Em fase de renovação? hum?
Bom saber, que estejas em paz.

Volte com pitacos, pois nunca haverá obstáculo...se a janela estiver fechada, a porta estará escancarada...rss
Beijos, menina que gosto!

BETANIA MARIA disse...

O texto é lindo! mas passei por aqui para dar um beijo e um abraço bem forte na minha querida e amada amiga, minha confidente, que me atura, que me ouve, que me lê, a um tempão.Acho que noutra encarnação fomos ou mãe filha ou irmãs.
Beijoooooooooooooooooooooooooo

Fá disse...

___esse texto é poesia pura, genuína, e apaixonante. tão delicada na entrega que a gente se vê nela.
eu da minha janela, pude ver tantas outras.
grata por esse belo momento.
.
parceirona tão especial.
beijos aí.
.

Lu disse...

Betania Maria!
Obrigada pelo beijo e o abraço, feliz que tenha gostado.
Ah, Beta nem tens que agradecer, tenho por você um amor incondicional. Lhe entendo. E quando entendemos alguém, fica fácil aceitar a pessoa como ela é...
Beijos!

Lu disse...

ô Fá...

De nossa janela, podemos ver e sentir tantas coisas...né mesmo parceira?


Que alegria, tua visita!
Obrigada por tudo, viste?
Especial és tu!
Beijos, volte tantas vezes quanto puder.