quarta-feira, 16 de abril de 2008

Ajuntador de bosta...

De certa feita, estávamos envolvidos, em mais um evento ligado ao tradicionalismo. Apaixonada pela cultura gaúcha, pelos gaúchos e pelo Rio Grande do Sul (não necessariamente nessa ordem), participei com muito prazer da organização.

Para que o devido protocolo de início e abertura do evento acontecesse, necessitava montar o palco com todos os pormenores. Solícito, um dos senhores do piquete que fazia parceria no evento, disponibilizou um de seus peões da sua fazenda. De porte pequeno (aparentemente menos de 1,50m), ao ser chamado por seu patrão, prontamente respondeu: Pois não, patrão!!!

O patrão replicou: A partir de agora, quero que ajudes no que for necessário para que seja organizado o palco e esteja limpo esse espaço e completou: Ajude essa moça, no que for preciso! Quase em mesura, arcando, respondeu: Pois não, patrão!
Iniciamos os preparativos da montagem e os ajustes, porém nesse local, os cavalos haviam defecado... Ele de uma humildade que jamais vi em ser algum, sem cerimônia, ajuntou os excrementos que estavam por todos os lados, enquanto alguns peões escorados num balcão bebendo cerveja, com certo ar de riso nos lábios, assistiam à cena. O peão em nenhum momento olhou para eles. Concentrado, rapidamente fez seu trabalho. Eu estava colocando as bandeiras, decorando e ajustando alguns detalhes no palco, e também assistia a cena. Logo que ajuntou todos os excrementos, veio em minha direção, com a mesma mesura disse: Pois não senhora, agora em que posso ajudar? Solicitei que me ajudasse com os mastros que eram pesados e enfim terminamos os preparativos.

Em casa, tomando meu chimarrão costumeiro, fiquei refletindo por um bom tempo. Alguns momentos e algumas pessoas causaram-me profundas impressões... Este peão marcou-me muito... Emocionada pensei: Que ser extraordinário, digno, determinado e maravilhoso! Não sei para onde irei quando partir dessa vida, mas peço a Deus que tenha um grande jardim e que o ajuntador de bosta seja parceiro, para que possamos fazer desse jardim o mais lindo que se tenha visto!

Em momento algum ele questionou a tarefa na qual foi designado a cumprir, fez com a maior dignidade e disposição e aos meus olhos, ele fez-se um “grande homem”! Em reverência, escrevo relatando tal fato, esperando que minhas palavras tomem rumo, tal o som do vento e se propaguem no infinito...

Fez-me pensar em algumas pessoas, que lamentavelmente acham-se mais dignas e importantes que outras...
Um ser não se faz digno pela etiqueta de grife exposta na sua bolsa, na marca de seu carro, no sapato caro e tão somente no corte de seu paletó... Faz-se digno, pelas suas ações, pelo dever cumprido, pelo respeito a si mesmo e pelo respeito com que tratou a todos ao longo da vida...

Beijos a todos que visitam esse espaço!

11 comentários:

Luiz disse...

Oi, sua estória é legal, um exemplo de homem trabalhador sem preconceitos, restrições, que cumpre com seu dever. Ok, um exemplo. Mas isso não deveria ser o normal ?

Milly disse...

Putz!
Sabes minha opinião sobre sermos "grandes" ou nos imaginarmos "grandes"!
Comentamos sobre isto,hoje...
Sobre pessoas que se acham mais dígnas que outras,mais importantes que as demais...soberbas,arrogantes!
Quão pequenas são!
Dígnas?Sim!De pena!!
Penso que depois do respeito...humildade é o que há de mais valioso no ser humano!
Respeito pra ser respeitado,amado e admirado...
Humildade pra poder colocar-se no lugar do outro...ter empatia,ser coerente...ser humano!
Infelizmente,existem os que juntam bostas...e os que são a bosta...rsss
Os últimos,não merecem serem juntados...devem ser deixados ao sol,pra fermetarem até virarem adubo...e servirem pra algo mais importante...
Tô azeda,hoje?
Tá,tô,sim...rs
Mas,nem é por muito tempo!
Sabes que qdo o tema é bom(e bem próximo..rs),rende muuuuito!..rs
Beijos...muitos!

Robo disse...

Esse sim é um ser digno, honrado, e digo mais, lá na sua querência, em meio a criação, tenho plena convicção que esse peão é uma pessoa feliz, de bem com a vida, que desconhece palavras como estresse e depressão, pois a lida no campo é tudo o que ele sempre quis.
Beijos.

Betin@ disse...

minha opinião é que todos são feliz ao seu modo, ninguém é melhor que ninguém......rsrsrsrs
beijos filhota querida
te gosto muito

Anne disse...

Bahhh, Lu...já te falei pessoalmente que esse foi um dos textos seus que mais me tocaram. Acho lindo uma pessoa com tanta grandeza, que não vê a si mesmo como inferior só por ter tarefas assim a cumprir. Que mantem a humildade e tem a certeza de cumprir o seu dever da melhor forma.

Acho lindo isso pq já penso nas outras qualidades que formam o caráter de uma pessoa assim... o respeito pelo próximo, gentileza, honestidade...ahhhh, q bom seria se o mundo fosse cheio deles!!! Como disse Mile, alguns são as bostas e, nesse mundo, infelizmente temos visto mais delas do que dos ajuntadores...

Mas tenho muita fé no ser humano, fé no que ainda podemos vir a ser, cada dia melhores, mas é preciso primeiro querer!!! E eu quero e busco isso todos os dias, como sei que vc tb faz!

Bjos, minha querida, minha amiga, meu exemplo! Amo vc!!!

Lu disse...

Olá Luiz!
Obrigada pela visita.
Esse fato realmente aconteceu, achas que sempre é assim que as tarefas são cumpridas? E só olhar para os lados para perceber que não...

.

Ô Milly...Sabes que eu gosto da sua maneira de se expressar, da sua autenticidade, de sem rodeios dizer o que pensa, não perca isso nunca.
Concordo com você, respeito é a base de qualquer relacionamento...
E humildade com certeza é uma roupa que cai bem até nos santos...rsss
Volte sempre, gosto de seus comentários e nossos papos.
Beijos conterrânea!


.


Ô robo que nem é desalmado, claro que ele era feliz...E acredito que muitos valores aprendeu lá na estância com seus pais.
Feliz que você tenha comentado, viu?
Beijos!!

.

Beijos mami linda do meu coração!
Volte sempre!
Porta sempre aberta aká!

.

Anne!
Que bom que gostou do texto, sabes o quanto penso no que escrevo, no que faço e no que digo.
Essa disciplina com que eu encaro, os minutos que vivo, vigiando constantemente meus atos com responsabilidade, tem seus lucros, pois me faz não ter que pedir desculpas e nem remoer arrependimentos...
Sabes o quanto me deixa feliz ver-te bem, sorridente, segura, tocando sua vida com vontade de crescer e fazer o melhor.
Também lhe amo incondicionalmente!!
Beijos!


.

««§εмф†ϊvф»» disse...

=O

Muito bom o seu post. Me fez refletir bastante agora.
Realmente as pessoas devem ser "julgadas" pelos seus atos e costumes, e não pela sua aparência.
Grande menina, com valores. Parabéns.
Gostei tanto deste post, vc não faz nem idéia. Gostei mesmo. Nota 1000

Ray

Booperfly disse...

É revoltante mesmo...
Vc conhece o poema "Eu, etiqueta" do Drummond? Leia, vc vai gostar.
Bom domingo!
Bjos,
Paulinha
http://www.booperfly.fairy-tales.com.br

marta disse...

minha primoca querida!
puxando minhas orelhas aqui por não ter vindo antes. tá lindo o seu blog... mais que isso, tá maravilhoso!
essa postagem então, tem tudo a ver... apenas confirma aquilo que penso de você: uma pessoa sensível. fiquei emocionada com a conclusão. e claro, está coberta de razão.
te amo, menina.
beijo enorme. de agora em diante, estarei sempre por aqui.

Luiz disse...

Lu querida, voce tem razão, na maioria das vezes as pessoas não cumprem bem com suas tarefas. Ainda hoje estávamos conversando sobre como no Brasil transgredir virou o normal. Mas isso não deveria ser assim, não é ? O peão que recolhe as bostas é tão importante para a sociedade quanto os outros profissionais. E ele deve se sentir assim porque ele é importante.

Pegando o gancho da sua resposta para Anne, percebe-se que voce procura ser rigorosa consigo mesma em seus posts. O fato de estarmos aqui conversando sobre o peão, sobre ética, sobre cumprir com suas obrigações, mesmo quando aparentemente sejam vexatórias, já é uma resultante do valor dos seus posts. Certamente voce seria uma pessoa à qual eu gostaria de conhecer, como à Anne tambem. beijo

Lu disse...

Ray!
Nota 1000?
Que responsabilidade para o próximo post!!! rss
Que bom que gostou!
Beijos e ótima semana!

.

Prometo que vou ler Paulinha!
Obrigada pela visita!
Beijos menina!

.


Marta!!!
Que bom que veio!
Feliz que tenha gostado do texto.
Obrigada, pelo que escreveu de mim...mocionei rss
Ô menina doce, também te amo muiito!!
Beijos e volte sempre!

.

Luiz!
Legal seu comentário!
Acredito que exista dois tipos de trabalho: o bem feito e o mal feito.O resto é papo! Esse negócio de mais ou menos importante não existe, e o Universo agradece muito o catador de latinhas, que cumpre um baita papel!
Realmente, Anne é uma pessoa fantástica que tenho prazer enorme de conviver.
Beijo, volte sempre!