quinta-feira, 29 de maio de 2008

Liberdade...

Quando pensamos em liberdade, umas das primeiras coisas que nos vem em mente, é o ato de ir e vir, de fazer aquilo que temos vontade...

Mas, pensando nas pessoas que não conseguem dar um passo, incapacitados de andar, elas não são livres? Ora, pois, pensando por outro prisma a liberdade pode e é muito mais que andar e se deslocar fisicamente para um determinado lugar. O astrofísico britânico, Stephen Hawking reconhecido pelos seus estudos sobre os buracos negros no Universo e a gravidade quântica, é um exemplo bem claro. Preso a uma cadeira de roda por causa da doença degenerativa de Charcot, diagnosticada quando ele tinha 22 anos, que além da perda dos movimentos, também acarretou a perda da fala. Viajando pelo mundo todo, dando palestras e participando de conferências cientificas, ele se comunica através de um controle manual, que seleciona palavras na tela de um computador, que possui um sintetizador que as converte em som.


Poderíamos então dizer que a liberdade está além de limites do ir e vir. Não somente num código, ou num conceito, mas sim no desejo de transpor limites, tanto externos, quanto internos. Está nas escolhas, que fazemos ao longo de nossa vida, religiosas, políticas e muitas outras... Pois muitas tolhem o livre pensar e o livre arbítrio e atrelados a dogmas, cartilhas, bandeiras, estatutos, muitos seguem a sua caminhada frustrados, outros arrependidos sabendo que o tempo não pode voltar... . E, muitas vezes as barreiras são criadas pelo próprio ser e atrás de sua muralha, muitos lamentam seu infortúnio...


Não vejo alegria maior que a liberdade do pensamento, a capacidade de criar, de sonhar, na compreensão do conhecimento com uso de sabedoria. Em mentes que se libertam de preconceito, que conseguem transpor limites auto-impostos.


Ao ouvir uma bela canção de olhos fechados “viajar”, subir montanhas, vislumbrar paisagens, sentir o vento, no permitir-se, no ousar, no deixar levar-se pela emoção... E até onde somos ou livres ou não, lembrei de uma frase de uma canção que diz: “A liberdade só será verdade se tu quiser...”


“Embora não podemos esquecer que em alguns países, muitos sofrem sem direitos e escolhas...”

A todos que visitam esse espaço, beijos!

Imagem: getty images

5 comentários:

Anne disse...

Pois é, Lu...e pensar que muitas vezes os limites são auto-impostos, como vc mesma disse. Algumas pessoas se prendem tanto, que perdem até a coragem de tentar, de ousar, de aproveitar aquilo que a vida oferece. A liberdade está nas possibilidades e na capacidade de escolha, em assumir as decisões sem medo de tomá-las, em ser quem se é...

Pronto, agora posso desligar o modo filosófico, porque nesse frio nem o cérebro quer funcionar. Menina, isso aqui tá uma geladeira! Espero que aí no andar de cima esteja mais quentinho...hahahaha. Trabalhar nos porões não é fácil...=P

Ficou mto bom esse texto, bem direto ao ponto, como eu gosto de ler! Vc escreve cada vez melhor!!!

Bjos pra vc, minha linda!

Luiz disse...

pois é Lu, liberdade. Os significados dessa palavra são tão múltiplos, tantos, que difilmente conseguimos entendê-los e vivenciá-los a todos. Acho que só conseguimos entender cada um desses significados quando perdemos aquilo que eles significam. Nesse seu texto voce falou de alguns desses significados, o ir e vir físico, o dos sentimentos e emoções, o das crenças, o da cidadania...que talvez sejam os que mais reconhecemos no nosso cotidiano. Liberdade é algo mesmo muito complexo. beijo

Milly disse...

Liberdade não é ir e vir...é poder ficar!
Poder ficar onde se gosta..com quem se gosta...é poder escolher onde,qdo,com quem...
Ter o coração sem amarras,ter os braços livres pro abraço...
Fazer escolhas...decidir seu futuro...esquecer o passado...viver o presente...
Liberdade é ser dona do seu nariz...saber que,se algo der errado,poderá quebrá-lo...mas,o sorriso por ter tentado será maior que os hematomas...rs
Beijos,querida!!
Todos...muitos!
.
(Obrigada,por tudo!És uma das alegrias que tenho por aqui!)
.
.

«« ڱemöґïvö »» disse...

Olá!!!
Depois de muito tempo voltei aqui. Não pq eu esqueci de ti, pelo contrário, mas andei muito ocupada estes tempos. Mas cá estou de volta. ^^
Seu texto? Lindo, espetacular. A pior prisão é aquela que impomos sobre nossas vontades, nossas crenças, nossos pensamentos, nosso ser, nosso eu!
Eu, que suplica por liberdade. Seja para pensar, para não se alienar, para viver.
Grande beijo

Ray

Oliver Pickwick disse...

Excelente artigo. Mostrou que liberdade não é apenas uma calça azul e desbotada, que você pode usar do jeito que quiser.
Um beijo!