sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Fragmentos_II

Sorvendo a vida às colheradas, ou outras medidas, aprazíveis em cada situação. Nas escolhas dos caminhos, que se bifurcam por alguma razão... Deixando rastros, tal uma vela, pingando promessas pelo chão.

Como no confessionário, a dizer das faltas menos graves, para a penitência ser mais suave. De vendas e sem asas, marionetes, razoáveis de pés fincados no chão. Uma forma limitada e nada criativa de olhar uma situação.

Não seriam as dores e inquietações, desejos e alegrias, que pelas mãos dos poetas, transformam-se em poesia? Ou serão loucos visionários, vestindo seus anseios de versos, sem limitar-se pela visão?...

Há tanta genialidade, até pela janela da boêmia...

Todavia, escoa-se mais um dia na roda do tempo, rodando em trilho aberto, juntando fragmentos...




Imagem: Renato Miguel-Olhares.


8 comentários:

Quasímodo disse...

Sorver a vida em doses homeopáticas. Talvez esteja aí o segredo. Tempo para sentir o gosto, para degustar, sem a pressa fisiológica de acumular energias. Isso é sabedoria.
Muito bom, amiga.

Wilderlan Sousa disse...

Parabens pelo blog, gostei!
Gostaria de conta com vc no meu blog, segueme em http://garagem-jovem.blogspot.com

Dil Santos disse...

Lu querida, tudo bem?
Menina, concordo com o menino Quasímodo. Essa quem sabe seja a forma ideal de se viver.
O texto foi quente heim? kkkkk
Ai menina, brigado pelos parabéns, que seja tudo aquilo e um pouco mais pra gente né? rs
Bjos

Lu disse...

Quasimódi, para sorver algo, carecemos apreciar e degustar com paciência e gosto...Pq ao contrário, torna-se mecanico, e perdemos o prazer da degustação, né?

Você é um amigo querido, portanto suspeito, ao falar dos escritos...rs
Obrigada, por tudo!
Beijos!

Lu disse...

Wilderlan!
Obrigada pela visita neste espaço.
Que bom que gostou, volte sempre!

Lu disse...

Diiiiiiil...
Eu tô bem, gracias!
Menino Quasimódi? Ele vai gostar de ser chamado de menino...kkkkkkk
É, ele sabe das coisas, sim! rss

Claro, que seja ótimo pra nós, e que jamais esqueçamos de nos fazer felizes!

Beeeeeeijos!

antonio - o implume disse...

Somos pelas penas leves, afinal somos caridosos...

Lu disse...

Penas pesadas dificultam os voos...
A propósito, as suas são leves e atravessam rapidinho o mar até aqui.;-)

Faltas que não sejam graves merecem uma chance, e todos a caridade.

Beijo!