sábado, 20 de dezembro de 2008

Memórias e o Natal...



Quando o sol abre seus olhos, parindo a manhã no canto de um sábia, nas asas da esperança aguardo acontecimentos... Qual rio que se entrega a corredeira para ser cachoeira, numa derradeira constância de um viver. Abro a arca das lembranças forjada no tempo, desde que usava trança, me ponho a lembrar e admirar...


Sempre que penso em uma grande mulher, vem em minha mente a imagem da Dona Morena, a quem eu admirava muito. Ela marcou profundamente a minha existência. Morena era linda e fofa, transmitia força e delicadeza em seu olhar. Mãe enérgica, afetuosa e determinada. Passei toda minha infância junto aos seus filhos e com eles passava os dias brincando. Enquanto, dançávamos ao som de músicas tocadas no gramofone, ela tricotava nos olhando por cima dos óculos, rindo das nossas brincadeiras...

Morena adorava cozinhar. O café da tarde era um ritual de família. Todos sentavam juntos à mesa nessa hora, era algo irresistível e mágico. O aroma do café e de seus bolinhos de chuva, a mesa farta, o pão fresco... Aos meus olhos, era um verdadeiro manjar dos deuses. Nem sei dizer quantas vezes em minha vida eu participei do café da tarde e de outras refeições feitas por ela

Sempre me senti muito querida por Dona Morena e sentia seu afeto verdadeiro nos momentos em que ela me chamava e iniciava uma conversa, sempre se referindo a mim como “alemoa”. Achava lindo quando dizia “meu velho”, dirigindo-se ao seu companheiro de vida.

Os Natais eram lindos e a preparação da ceia era motivo de trabalho de muitas horas. Meus natais eram sempre em sua casa. Admirava a sabedoria de Dona Morena. Era lindo vê-la conversar, sabia de tudo e mais um pouco. Foi em sua casa que despertou o meu gosto pela leitura, pois sempre pegava emprestado algum dos livros sobre os mais diversos assuntos, da vasta biblioteca de sua casa. O som das máquinas e mágica das palavras, na impressão fresca do jornal editado semanalmente me fascinava. A gráfica no porão da casa, era um lugar que visitávamos curiosos, procurando saber dos acontecimentos.


Somente após muitos anos, vim a descobrir que Dona Morena não sabia ler e nem escrever. Seu nome tinha aprendido para assinar os documentos e votar. A mulher com quem aprendi tanto, valores, coisas do mundo, era analfabeta. Talvez tenha sido a primeira vez que recebia um exemplo claro do que é sabedoria e o que é conhecimento, duas coisas absolutamente distintas.



Um Feliz Natal para todos!

Beijos!



17 comentários:

Milly disse...

Ah,conterrânea...ando tão sumida deste teu recanto,né?
Mas,ó,nada pessoal,tá?..rs
É que a vida me atropelou...me deixou assim,assim...nas nuvens..rs
E perdi o mapa da mina.
Voltei,sempre volto!
.
Sabe,uma coisa aprendi nestes poucos anos de vida(ainda sou uma menina..hehehe).
Sabedoria e conhecimento são coisas distintas...assim,como educação e cultura!
Podes ser muito culto,mas,nada educado...pq cultura aprendes nos bancos da escola e educação vem do berço....
Ainda vou aprender muita coisa!
Tenho tempo,sou novinha...rss
.
Muitos beijos!!
Outra vez,desculpe-me!
Nunca te esqueci...só me empolguei alí...rs
.
Te adoro!
.

Anne disse...

Fiquei imaginando a Dona Morena desde a primeira vez que li esse texto. Devia ser mesmo uma pessoa única! Os Natais tb deviam ter uma outra cor naquela época, não?

Estava pensando sobre isso ontem. Não gosto muito de Natal, não sei pq... me parece que mta coisa se perdeu do que eles eram, não sei se foi pq eu cresci ou pq muita coisa mudou, mas eles não tem mais o mesmo gosto. Enfim...

Eu só quero mesmo é q esse ano termine...rs. Bjos, minha linda, adorei esse texto. Adoro suas palavras!

Wagner Marques disse...

me enterneceu...

Oliver Pickwick disse...

Viajei nestes últimos dias. Agora, passei para agradecer pela companhia e desejar-lhe o melhor dos natais e um feliz ano novo.
Um beijo!

Quasímodo disse...

Lu, amiga.
Como nos marcam com maior profundidade as pessoas simples, né?... Dona Morena, o Juntador... Deve ser por terem a alma mais pura.
Dona Morena ainda vive?... Ler para ela este lindo texto seria uma as mais belas prendas de Natal. Se não vive, ela já o leu, ainda antes de escrevê-lo.

Beijo, amiga. Feliz Natal

Lu disse...

Milly!
Sei que as vezes sai atrás de borboletas...rsss
Coisa de meninas felizes!


Foi uma grande alegria tê-la visitando este espaço, como seus comentários bem humorados.
Um feliz natal junto aos seus.
Beijos!

Obs: Isso inclui Francisco, Maria e sues nove filhos...hahahahahaha

Lu disse...

Ah, Anne!
Bem o sabes quanto tempo faz que escrevi esse texto e da importância de D. Morena em minha vida.

Os natais daquela época eram mágicos. Eperavamos ansiosos.Tinha bolacha pintada, cuca recheada, doces e pratos que só era feito para o natal. Talvez seja o fato de ver os preparativos e a importância dada a data, que fazia o clíma ser outro.

Chegando ao final de mais um ano, agradeço sua presença constante em minha vida. Seu afeto e seus cuidados comigo.
Que 2009 seja especial, com seus desejos realizados na busca do que se propõe.
Beijos amiga!

Lu disse...

Wagner...
Por qual porta entrou? rss
Obrigada pela visita.
Volte sempre!

Lu disse...

Caro Oliver!
Imaginei que estivesse viajando.


Obrigada pela sua constante presença.A sua companhia é importante,e quem tem que agradecer sou eu.

Igualmente a você, feliz natal junto aos seus
Beijo!

Lu disse...

Quasímodi...
Exatamente, marcam profundamente.
E o tempo que convivemos com a mesma, pode até ser de curto período.Mas as marcas são eternas.


Morena não está mais entre nós, faz uns bons anos. Mas basta que eu feche os olhos para que eu a veja.
Ela me defendia de qualquer comentário maldoso que alguém ousasse fazer...Eu já era mãe de dois filhos, muitos anos depois quando vim a saber detalhes de minha vida, que foram revelados por ela.
Um dia ela olhou bem nos meus olhos e disse: Alemoa, tu eras pra ter sido milha filha. E, foi nesse momento que entendi que todo aquele afeto, era de uma mãe para uma filha.
Tenho-a presente. Ela foi e será sempre, a mulher que admiro.

Amigo, é uma grande alegria tê-lo presente. Fostes companheiro, para momentos de tédio, de alegria, para desabafos, para trocas de idéia e para chamar minha atenção nos erros que as vezes cometo na escrita. Agradeço sua amizade, desejando também a você um feliz natal!
Beijo!

Gata de Rua disse...

Amiga, também andei entocada...lambendo algumas feridas. Mas, é Natal, foi Natal, e tudo passa. Volto ser leitora habitual. Desejo-te um ano novo - nova jornada!! Comece a contar do 1, e que sejam 365 as alegrias.
Com carinho.

Véu de Maya disse...

Lu!

voltei para ler teu belo texto cheio de sentido e te desejar UM 2009 cheio de felicidades e e ilusões...E que haja mais Paz e Amor no Mundo.

bjinho

véu de maya.

Milly disse...

Ó,tô aqui!
Senti cheiro de bolo de milho...tá fazendo?
Passei pra um café...rs
Sabes o qto gosto de ti...o respeito,admiração e carinho que tenho por ti.
Te conto,então,que na noite de Natal entre os meus(incluindo aí minha trupe peluda,minhas cachorras,meus pássaros e meu peixe)...lembrei de ti e de todos os amigos sinceros que fiz neste mundo virtual...
Rezei e pedi por todos nós...que possamos estar juntos em mais um ano que se inicia...
Agradeci,do fundo do meu coração,o carinho recebido...e o prazer de tua cia!
Feliz Ano Novo,Lu!
Tudo de bom pra ti e tua família!
Muitos beijos...
.
.

Leonardo Curcino disse...

como nao estive aqui antes pra desejar feliz natal, feliz ano novo entao! ^^

Mila disse...

Já que o natal já se foi...
Te desejo um excelente 2009!!!!
Beijos Mila

Milly disse...

Já é 2009...sabias?..rss
Dá cá um abraço apertado!!
Ainda tô com cheiro de lentilha...rss
Feliz Ano Novo!
Muitos beijos!!
.
.

Véu de Maya disse...

Lu,

estive de pausa...mas voltei li o teu texto...e me comoveu...uma lição excelente acerca da sabedoria da vida...

abraços

Véu de Maya