quarta-feira, 11 de junho de 2008

Paixões e Escolhas...

Nada! Nada! Nada que digas mudará o que penso, nem tente me reter!!! Os gritos ecoavam por todo o recinto, carregados de tensão, no momento que Esther retirava-se batendo a porta.

Em sua última apresentação, sob os aplausos do publico encantado com os acordes perfeitos de uma belíssima apresentação, Esther junto com a orquestra em mesura agradecia. A turnê tinha chegado ao fim, encerrada com uma noite de glória.

Esther exalava música pelos poros, sua paixão e sua entrega extasiavam a quem a ouvia derramando sua alma nas cordas de seu violoncelo. Tinha optado pela música, deixando para trás sua vida e o homem a quem amava, para seguir sua carreira. Mas o preço imposto para que continuasse era muito alto e ela jamais havia sentido algo pelo maestro.

Aplausos e alegrias, dor e lágrimas, dizia ela a si mesmo caminhando em direção à estação de trem. Em um momento via-se flutuando em direção ao céu, sentia-se tocando as asas de um anjo que a conduzia ao infinito, em outro a dor dilacerava sua alma, remetendo novamente a escolhas.

Suas lágrimas escorriam, mas ela não se dava conta. E quando o trem partiu sentiu que se encerrava um ciclo de sua vida. Voltaria para o lugar onde sempre viveu, de onde saiu para viver seu sonho.

Esther acordou com o barulho da chuva, abriu os olhos e percebeu a chuva pela janela. Quando a visão clareou, percebeu aquele a quem tanto amara ali, contemplando-a em silêncio, enquanto ela se espreguiçava. E então ele disse:

- Bem vinda, amor de minha vida... Nunca duvidei que um dia voltasse a esse lugar. Esperei-te todos os dias, que foram longos e iguais sem você aqui.


Beijos a todos que visitam este espaço!


Foto: Glimboo

10 comentários:

Betin@ disse...

Textos cada dia um mais lindo que o outro.
Continua sempre assim, linda como és.
Beijos dessa mãe postiça.
Te gosto muito.
Beijosssssssssssss

Lu disse...

O mami linda!
Obrigada por teres vindo e obrigada!
Volte sempre, beijos!

Milly disse...

Algumas escolhas são tão doloridas!
Deus!Como dói optar...e ter a duvida do acerto!!
E se não for o correto?
E se o arrependimento chegar?
Vivemos numa bifurcação...a vida é feita de escolhas!!
Sempre abrimos mão de algo maravilhoso,em troca de algo não tão saboroso...
Mas,não podemos ter tudo!
E o tudo,nem sempre é o suficiente...
Compliquei?..rs
É...hoje,tô mais confusa que o normal..rs
Sabes bem o motivo...tenho estado num redemoinho...rs
Mas,acharei águas calmas...portos seguros....pq fiz a escolha certa,né?..rs
Te adoro!
Muitos beijos..
.

Lu disse...

Ahã...Fez sim!
Lembre-se, nunca aceite menos que do mereces!
Beijos, menina que gosto muito!

Anne disse...

Bah, Lu...eu achei coisa mais linda esse texto. Taí uma situação que eu não gostaria de viver. Ter que escolher entre paixões tão diferentes, sem saber exatamente o resultado dessa escolha.

Claro que a gente está sempre tendo que fazer escolhas. A minha escolha atual é tentar, até esgotar todas as possibilidades. Ao menos sei que tentei e fiz o meu melhor naquele momento...

Lindo, tão romântico o texto. Escreves cada vez melhor, minha querida!

Bjos a vc, que admiro e amo!
p.s: Linda, linda foto!

Milly disse...

Toc-Toc...
Ô,DE CASA!!
Tem gente em casa?..rs
.
Ó..deixei beijos num envelope...embaixo do tapete...
Cuidei pra não borrar..rs
Todos...que mereces..
Beijos!
.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

MUITO BONITO O SEU TEXTO, CONTINUE ESCREVENDO. HOJE NÃO ESTOU NADA BEM, ENTÃO PARTIREI. POSTEI HJ SOBRE STARDUST, O MISTÉRIO DA ESTRELA E SOBRE A II PARTE DA DAMA E O UNICÓRNIO. VÁ LÁ E DEIXE O SEU COMENTÁRIO. SE AINDA NÃO PÔS COMENTÁRIO EM PARIS, EU TE AMO, APROVEITE A OCASIÃO.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
BEIJOS, CADA VEZ GOSTO MAIS DE VCS
RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO

Lu disse...

Milly, todos os beijos recolhidos...rss
Um bom final de semana!
Beijos, menina que gosto muito!

Oliver Pickwick disse...

Mais mistério, desta vez, acrescido de romance, e, um frasco da fada verde na janela.
Um beijo!

Luiz disse...

Lu, permita-me, teus posts têm muito de voltar, voltar a algum lugar importante, marcante. E nesse retorno tem um amor, em forma de pessoa, de casa, de liberdade. Exceto o causo de Terencio, que esse nem se sabe se voltou... beijo