quarta-feira, 18 de junho de 2008

A carta

Quando o carteiro chegou trazendo a correspondência logo cedo, Eva já imaginava de quem seria aquela carta. Meses ansiara sua resposta e agora que ela chagará não tinha forças para ler. O entardecer logo chegaria e ainda Eva segurava a carta nas mãos sem coragem de abri-la.

Mentalmente repassou os últimos momentos antes de sua partida, para longe daquele que tanto amava. Num lamento suas lágrimas escorriam e a saudade dilacerava sua alma. Quisera ela que o destino tivesse sido outro, que pudesse estar em seus braços. Mas não tinha sobrado alternativa-pensava ela-, a imposição e sua obrigação familiar, baseada em conceitos sociais faziam-no renegar sua felicidade.

Eva, já sem argumentos para aquele que tanto amava, decidira partir e começar uma nova vida. Quem sabe a distância e tempo ajudem-me esquecer – dizia a si mesma.

A decisão de escrever-lhe nasceu num momento de impulso. Quem sabe-pensava Eva cheia de esperanças-, ele tivesse repensado sua decisão em todo esse tempo, dando a si uma chance de todo seu amor ser vivido.

A possibilidade estava no conteúdo da carta, o temor tomava-a por inteiro sabendo que uma bifurcação ali estava, onde destinos são selados, de encontros e desencontros. Ansiava que o coração de seu amado estivesse nas linhas daquela carta, não nas razões de conveniências que até então tinham conduzido sua forma de agir e pensar. Que ele tivesse discernimento suficiente, coragem e ousadia de viver tudo que aquilo que seus corpos e almas, numa entrega febril de momentos únicos já vividos pudessem ser repetidos...

Respirando fundo numa prece muda, rasgou o envelope com as mãos tremulas e o coração aos pulos leu a primeira frase: Saudoso, escrevo-te...




Alguns momentos e alguns amores marcam a ferro quente! Podemos trocar os nomes e os lugares, mas não os fatos... "A dor de quem ama é única, não pode ser medida... "

Aos visitantes desse espaço, beijos!


6 comentários:

Milly disse...

Por vezes "abro cartas"..com o coração na boca!
Muitas delas,na ânsia de não ser o que desejo...pois,desta forma,seria mais fácil aceitar o que não pode ser remediado...
Desejo tanto recebê-las...e,ao mesmo tempo,torço pra que não cheguem ao destino...
Seria tão fácil se pudéssemos ver por entre o papel...ler sem abrí-las...devolvê-las,se necessário fosse...
Coloqueio o cachorro no portão...lacrei minha caixa de correspondência..rs
Carta agora,só se colocarem por engano na casa da vizinha...e ela tiver o trabalho de me entregar...rss
Minha vizinha é desatenta..rezo pra que não reconheça meu nome na carta...e não me entregue o que tanto desejo!..rs
.
Beijos...muitos,doutora!..rs
.
.
Linda postagem!
Texto maravilhoso,mulher!
.

BETANIA MARIA disse...

Bah! Guria! nem sei o que te dizer...acertaste em cheio, é isso aí mesmo!
Beijão
Beta

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Hj não estou podendo fazer muitos comentários porque descobriram o meu mal,algo inesperado, meio sério e vou ser operada. Mas deixei um presente para vcs, uma resenha.
Apareçam por lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um abraço,
Renata
PS: Estou mandando a mesma mensagem a todos por motivos óbvios.

Lu disse...

Milly...Bons tempos das cartas né mesmo? Aquelas que começavam, saudoso escrevo-te...com relatos e detalhes de acontecimentos. E-mail hoje substitui as longas cartas, mas não tem a mesmo calor e por vezes tão impessoal ou com conteúdo pronto e repassado.
Feliz aká que tenhas gostado, viste?
Beijos menina que gosto muuuiiiito!!!

Lu disse...

Beta!
Acertei em cheio? Oba!!! rss
Que bom que gostou.
Tem momentos que não há necessidade das palavras.
Feliz que tenha conseguido traduzir um pouco dos sentimentos...das perdas que tanto machucam e fazem parte de muitos de nós.
Beijos amiga real!

Anne disse...

Olhaaaa, anda escrevendo bastante, heim? Fico mto feliz em ver esse seu cantinho cescendo cada vez mais. Como já disse, vc escreve cada vez melhor. Estou adorando os seus textos, são lindos...

Fiquei eu com o coração na boca esperando para saber o conteúdo da carta. Engraçado esse sentimento, o amor...é capaz de iluminar tudo com uma simples palavra, não acha? Ahhhh, que lindo!!!

Realmente, alguns amores marcam a ferro quente, agradeço a Deus cada um parecido com isso, pq ao menos eu sinto, ao menos eu vivo coisas belas e únicas. Até o dia em que eu finalmente encontre aquele um de verdade!

Beijos, linda...adorando aqui! Amo vc, como sempre, mais do que antes! Beijos