terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Culinária Natalina...



Lembrei-me que minha mãe fazia bolacha na véspera do Natal. Claro que tudo que ela fazia, era em escala industrial. Eu, no posto de sua ajudante imediata e única auxiliar, tinha que limpar as formas e engraxa-las, cuidar do fogo no forno-que ficava lá no fundo do quintal. Tocar a manivela da máquina de fazer bolacha,( aquelas que também eram usadas pra moer carne) e, recortar a outra parte da massa em forma de estrelas, corações, etc. Levar as formas com as bolachas para assar, retirar as bolachas depois de assadas, voltar a engraxar novamente as formas, e repor novamente com mais bolacha para assar.

Céus! Ela fazia tanta bolacha, que dava pra entupir a dentadura de velhos de um asilo inteiro!

Ufa! Enfim quando as bolachas estavam todas assadas, começava a segunda etapa que era bater umas quantas dúzias de ovos, ou melhor, às claras em neve, cuidando pra que ficasse bem firme o merengue. Não tinha batedeira, isso tudo manual. Depois de colocar o merengue nas bolachas, decorava-se colocando o açúcar de confeiteiro e voltava-se a levar as formas com bolacha para o forno, para secar o merengue.

Tinham umas quantas escadas, não eram de muitos degraus, mas que no final do dia representavam mais altas que a escada do Cristo, no Rio de Janeiro. Que lá pelas tantas eu já subia de quatro pés, de tão cansada. Isso tudo precisava ser rápido, porque se tinha uma coisa que minha mãe sabia fazer muito bem-além de cuca e bolacha, era mandar.

Sempre que ela dava uma nova ordem, completava a frase dizendo: Schnell du!!!

Isso era uma maratona pra um dia inteiro. Mas depois, ainda tinha que limpar a cozinha, que ficava cheia de farinha até o teto. Parecia que ela despejava a farinha com o ventilador ligado. O chão da cozinha tinha umas frestas de dois dedos de largura, e claro que limpar tudo isso levava horas. A sorte era que naquele tempo, derretiam-se uns tabletes de cera, bem vermelha, que levava pelo menos uns três dias pra desencardir as unhas, mas pelo menos disfarçavam algum resquício de farinha. E nada fácil era abrir o lustro do assoalho, com o tal escovão e um pano de lã, depois que a cera estivesse seca. E por mim, eu dormiria por três dias e três noites após isso.

Todavia, mais um ou dois dias ela anunciava: Amanhã vamos fazer cuca! Juro que, muitas vezes pensei em fugir de casa, bem na véspera do Natal.

De manhã, bem cedo começava a mesma maratona, pega as formas, limpa as formas, corre fazer fogo no forno, alcança os ovos, vai ver se o fogo não apagou...

Era cuca recheada de creme de chocolate (minha preferida), cuca recheada de laranja, cuca recheada com creme de groselha, cuca com cobertura de isso e aquilo...

Então, depois de tudo isso ela dizia: Agora pega e leva uma cuca pra Dona Morena, uma pra Dona Negra, um pra sicrana e outra pra beltrana...


Relembro rindo, mas me canso só de pensar o quanto corria nesta data.



Beijos, caros vistantes!


P.S.: Schnell du, significa: Rápida você.

29 comentários:

Amanda disse...

Lucica...maratona mesmo!!!! Mas uma das poucas coisas que eu gosto do fim do Ano são esses rituais!!!
saudades de vc!!!!!!
Bjos!

Quasímodo disse...

Lu... Essas lembranças são marcas que ficam para sempre. Como eu sai de casa muito novo (por volta dos 6 aninhos), não me recordo de preparativos de Natal. Mas lembro do forno de barro e dos dias em que a mãe decidia fazer pão... Era um dia inteiro de correria. A imagem que me ficou na lembrança é a da mãe usando um pano branco amarrado na cabeça, e do olhar amedrontado dos cachorros e gatos, numa prudente distância. Nesses dias era temerário para eles ficarem por perto. Levavam pisões no rabo, chutes na barriga.... Só comparável quando carneáva-mos um porco... Mas essa é outra história.

Agora fico no aguardo de tua visita... E da Anne. Schnell du!...

Grande abraço.

Leni disse...

Hahahha!
A maratona de fazer bolachas, cucas e similares em época natalina eu tambem pratiquei muito, e à mim deixam saudades...
Ah, o natal tinha mais "cara de natal" na infância!

Beijos!
Leni.

Lu disse...

Amandica!
Eu até como qualquer coisa....nem carece de ceia... ( deve ser trauma)kkkkkkkkkkk

Andei sumida, sei!rss
Beeeeeijos, menina linda!

Lu disse...

Quasimódi!!!
Não era só os cachorros e gatos. Lembro que tinha que pisar fino e ser rápida! rsss

Boas lembranças.
ó...dia de carnear porco, eu ficava embaixo da cama, tapando os ouvidos...Doia em minha alma os berros do porco.Quando matavam galinha, mesma coisa. Bah coisa triste...Mas a gente comia depois, né? Estranho isso...

Beeijos!

P.S.: Schell au, mas a Anne...rss

Lu disse...

Leni!!!
Que bom tê-la, neste meu modesto e humilde espaço.

Verdade! A gente esperava ansiooooosa, o presente e a comilança que teria.
Bolachas, cucas e doces eram o manjar dos deuses. Estranho, tão comum hoje... Tudo tem nos mercados. Não é igual, tens razão.

ó...volte sempre!
Beeeeeeeijos!

Quasímodo disse...

Ah... A Anne vem... Vem sim.

Bom final de semana, amiga... e para os meninos lindos também.

(Qualquer hora te ensino como imolar lesmas em sacrifícios rituais... não será pecado nem para o de Assis.)

Beijo.

rouxinol de Bernardim disse...

Bom Natal e Viva o Brasil!

Milly disse...

Olá,coisa mais amor...rs
Voltei no tempo através de tuas lembranças!
Tbém tínhamos uma máquina de moer carne,fazer bolachas e trancar os dedos de meninas arteiras,igualzinha a esta!..rs
Só que lá em casa,como éramos em 4 meninas,imaginas,né? Uma briga só!
Ninguém queria ajudar a cortar as bolachas...mas,comer,sim!
Minha mãe,qdo ia chamar uma,errava o nome e chamava três,pra só então,por último,chamar quem ela de fato queria...rs
E ouvia um resmungo só..."Ah,pq eu?Sempre eu? Ontem,já fiz isto...a senhora não sabe o nome das outras não?"
Ao que ela,do alto de sua fúria,dizia..."Ssssshhhh!!Nem um pio!Não quero ouvir reclamação!Ontem foi ontem,hoje é hoje..e hoje,serás tu!".
Eu sempre estava cansada...rs
Sempre inventava uma desculpa e minhas irmãs diziam..."Ó,lá,mãe!Ela tá folgada! Disse que tava cansada pra não ajudar,mas,tá pulando amarelinha!"
Qdo minha mãe olhava pela janela,eu esboçava um sorriso largo e ouvia..."Esta guria não tem jeito!"
.
.

Milly disse...

Minha mãe conta que,aos 3 anos,eu já era birrenta e opiniosa!
No Natal,minhas irmãs mais velhas ganharam bonecas com cabelo...coisa rara de se ver por aquelas bandas.
Era caro pra mais de metro e como eu era pequena(certamente,destruia tudo)fui contemplada com um boneco careca...tipo estes bebezões que existem hoje...com um tufo de cabelo no alto da cabeça.
Menina!!
Contam as más linguas,que qdo eu abri o pacote e vi que minha boneca não tinha cabelos,não pensei duas vezes...pisoteei a coitada,deixando o rosto todo marcado!!..rs
Joguei longe...e gritei furiosa,com os braços cruzados em cima da pança..."Eu quero uma muneka de bebelo!!"...rs
Tadinha da minha mãe!
No dia seguinte,foi comprar uma, com vasta cabeleira.
Tenho foto deste feito.
Eu,em pé,com a cara feia,testa franzida,uma bugra...rs...a boneca cabeluda nos braços e um vira-latas ao lado...rs
Ah,saudade boa,né?
Tenho ótimos "causos" ocorridos em noites natalinas...um mais louco que o outro.
Todos recheados de carinho...e com cheiro de rabanada...(que tbém fazíamos durante o resto do ano,qdo o pão ficava dormido..rs).
.
Eu estava ali,ó...por isto sumi...mas,tô de volta...rs
.
Dá cá um abraço apertado!
Feliz Natal,querida!
Tudo de bom pra ti!
Cuide-se!!
Beijos!!
.
.

Lu disse...

ó a Milly!!! rsss

Sabes que estava lendo da boneca sem "bebelo", e me representou já ter lido isso...pois, não é que tu já tinha comentado nesse blog? kkkkkkkkkkk...30/03/2008. Está parecendo eu...rsss Nas prosas, quando me toco que já falei do assunto, disfarço e digo bem séria: Já te contei isso? kkkkkkkkkkkk Mas os meninos já no começo do causo, dizem: Mãeeeeee...tu já contou isso!..hahahahahaha.Que coisa! Imagine quando eu ficar velhinha...hihihi.


ô... mas que danada! E eu solita, sem irmãs em casa... nasci temporona. As manas já tinham casado, e sobrava pra mim tuuuuudo.

Milly, thanks! Micicuido sim! rss

Um Feliz Natal pra você e os seus!

Beeeeeijos, amada!!!

Lu disse...

Rouxinol...Obrigada! Feliz Natal para você também!
Viva o Brasil e Portugal!

Lu disse...

Quasimódi... Tô me pensano...que será isso? Tu não vem com tuas invenções.rsss Depois daquela do gato, sei não...rsss

Obrigada! Pra você também amigo!
Beeeeeijos!

Dil Santos disse...

Lu querida, como está?
Menina me desculpa o sumiço, tava meio relapso, mas meu pc contribuiu e muito, kkkkkkkkkkkkkkk
Tava com saudade de tu menina, rsrs.
Menina, sei como é isso. Aqui em casa vivo essa maratona, só q com biscoitos. Costumamos fazer muitos biscoistos e boa parte sobra para eu fazer, rsrs.
Osde coco, sequilhos, d queijo, esse ano vou fazer uma nova, dar uam inovada, além do tradicional biscoito de coco, receita d família, minha vó quem me ensinou, rsrs.

Bjão querida
:)

˙·٠•● ѕεறிoτιvo ◦ disse...

Nossa, e eu que até a pouco reclamava quando criança por ter que sempre aprontar a mesa de natal... É que sempre adorei ver programa de etiqueta e decoração (pobre metidinha. hahaha) Aí arrumava a mesa mó bonitinho, com todas as regras que aprendi. Logo, o trabalho de arrumadora desde os 8 anos foi pra mim. XD

Mas vc, nossa, vc se acabaava de trabalhar, tadinmha,,,, isso darias um livro, sem brincadeira.
Um bom natal ra ti, cheiiiiioooo de descanso.

;*

Quasímodo disse...

Feliz Natal, amiga.

Véu de Maya disse...

Olá Lu!

Muito linda esta memória da infância...e tão bem apresentada na sua escrita...passo pra lhe desejar Boas-Festas e um 2010, cheio de criatividade, sonhos, amor, e sobretudo muita paz no coração dos homens.
beijinho,

Véu de Maya

Betina disse...

Saudades querida....
Vim te desejar um ano novo cheinho de Felicidades e Amor
beijãooooooooooooooo

Dil Santos disse...

Lu querida, como está?
Sumiu heim? rsrs
Como foi de Natal?
Lu, Feliz Ano Novo, muita saúde, paz, alegrias, sucesso, prosperidade, amor, realizações.
Que Deus ilumine e abençõe vc e sua família.
Um montão de coisas boas pra vc
Um bjo especial.
:)

Lu disse...

Obrigada mami bê!
Um ano pleno a você!
Que bom que você existe, viste?
Ailóviú!
Beeeeeeijos!

Lu disse...

Diiiiiiiiiiiiilllll
Tô aquiiiii...rsss
Natal foi calmo e sereno, e o seu?

Obrigada, igualmente para você.
Que 2010 seja pleno de conquistas e realizações, com tudo que mereces.
Outro beijo, guri especial!

Lu disse...

Véu...
Obrigada!
Ando ausente da blogosfera, eu sei...
Devo visitas, muitas.

Um 2010 pleno em suas consquistas, nesta caminhada pela terra. Que a paz esteja contigo, acompanhada de alegrias, saúde e muito amor!
Beijo, querido!

uns olhos... disse...

olá, comadre!

vim acá dizer um oi... e ver como andam a lavoura e os bichinhos.
fiquei feliz, astro parece ter escapado do natal.

beijos

Eric R. disse...

Ola Lu como esta?

Espero que tenha tido um excelente Natal e virada de ano.
Passei para te desejar um excelente 2010, repleto de saúde, felicidade e prosperidade.

Um forte abraço e um beijo no coração. :D

Lu disse...

Comadre uns...óia o miô tá crescenu, e os bichinhos bem... Jimmy sarou do rabo, mas agora deu um outro problema. Nem conto aonde..rss
tadinho.
E a comadre tá boua? a bicharada tumém?

Apareça, beeeeeijos!

Amanda disse...

LUUUUUUUUUUUUUUUU..kd vc????????????

Oliver Pickwick disse...

Ei, garota! O que está esperando para escrever? O próximo Natal?
Um beijo!

uns olhos... disse...

putz... vim acá ver se tinha chimarrão... só achei resto da ceia. tá na hora de mudar a decoração, comadre.

beijos

Lu disse...

hahahhahaha...tô de quati no lombo.
Um casal, que provávelmente já deu cria.

Se passar a pregui, mudo a decoração.
beijos